Novo guideline de manejo do colesterol traz mudanças importantes

 

Conteúdo foi apresentado no Congresso da American Heart Association (AHA) 2018. Veja as considerações do diretor científico da Socerj, Dr. Claudio Tinoco, sobre o documento.

Mudanças importantes nos guidelines de 2018:

Prevenção secundária, as diretrizes do ACC / AHA recomendam a redução dos níveis de colesterol LDL em 50% ou mais com uma estatina de alta intensidade (atorvastatina 40-80 mg e rosuvastatina 20-40 mg) ou uma dose máxima tolerada de estatina, em todos pacientes com doença cardiovascular aterosclerótica clínica.
Pacientes com risco muito alto de eventos adversos, como aqueles com história de múltiplos eventos coronarianos ou vasculares cerebrais ou um evento importante vascular e múltiplas condições de alto risco – e com colesterol LDL ≥ 70 mg / dL –, as diretrizes recomendam agora a adição de ezetimiba à terapia para diminuir o LDL abaixo do limiar aceitável. Se o LDL ainda permanecer ≥ 70 mg / dL, deve-se avaliar a adição de um inibidor da PCSK9.
O que é bem enfatizado é que a redução mais intensa de LDL é reservada para os pacientes com maior risco.

No paciente de 40 a 75 anos com diabetes e LDL ≥ 70 mg / dL, as diretrizes recomendam iniciar o tratamento com estatina de intensidade moderada sem avaliar o risco de 10 anos de eventos adversos. Se o paciente for diabético e tiver múltiplas características de alto risco ou tiver de 50 a 75 anos, considerar o uso de uma estatina de alta intensidade.
As diretrizes de colesterol 2018 ACC / AHA enfatizam uma discussão sobre os prós e contras do início do tratamento com estatina para a prevenção primária, incluindo a discussão com o paciente dos principais fatores de risco – tabagismo, pressão arterial, níveis de colesterol LDL e o risco de 10 anos de eventos adversos, entre outros. Preferências e valores do paciente devem ser incorporados neste modelo de tomada de decisão compartilhada.
Para adultos de 40 a 75 anos sem diabetes, níveis de colesterol LDL ≥ 70 mg / dL e risco de ASCV de 10 anos 7,5% ou maior, a recomendação é de estatina de intensidade moderada se a discussão das opções de tratamento a favorecerem.
Prevenção primária, o ACC e a AHA finalmente incorporam o Escore de Calcio (CAC) para ajudar a orientar as decisões de tratamento. Para aqueles com risco intermediário – definidos como aqueles com um risco de 10 anos entre 7,5% e 19,9% – e um escore CAC zero, o tratamento com estatinas pode ser postergado a menos que o paciente apresente tabagismo, diabetes ou um forte histórico familiar de desfechos adversos.
O arquivo completo com as alterações do guideline está disponível em: http://bit.ly/colesterol2018

Os comentários estão fechados.