Treinamento Funcional

O que é o treinamento funcional?

O treinamento funcional representa uma das principais tendências do mercado fitness brasileiro e mundial. Em alguns centros do país já encontramos academias especializadas somente em exercícios funcionais, com toda estrutura de equipamentos e professores especializados. Suas origens vêm do Yoga, das artes marciais, dos Jogos Olímpicos Gregos, da dança clássica e moderna e do Pilates.

Consiste em um programa de treinamento específico que tem por objetivo resgatar os déficits de movimento que foram adquiridos durante o desenvolvimento, melhorando os aspectos neurológicos que afetam a capacidade funcional do corpo humano (amplitude dos movimento, mobilidade e estabilidade articular, força e resistência muscular, etc.), a fim de que o indivíduo possa desempenhar de forma eficiente as suas atividades da vida diária (AVD’S), ou atividades específicas que visem o desempenho.

A grande e principal diferença entre o treinamento de força convencional e o treinamento funcional, é que o treinamento convencional trabalha o músculo isoladamente, já o treinamento funcional trabalha o movimento, englobando um conjunto de músculos ao mesmo tempo de forma integrada.

Quais são os objetivos do treinamento funcional?

Os exercícios funcionais possuem diversos objetivos, mas podemos dizer que os principais são: trabalhar a mobilidade e a estabilidade das articulações e fortalecer os músculos responsáveis pela estabilidade e manutenção da postura, evitando assim a perda do padrão dos movimentos, os desequilíbrios musculares e as incidências de lesão. Isto porque, quando temos uma ou mais musculaturas profundas com déficits de força, sobrecarregamos as musculaturas mais superficiais, que começam a desenvolver desequilíbrios, afetando diretamente o sistema locomotor.

Para obter uma boa estabilidade na execução de qualquer movimento, é necessário fortalecer os músculos do famoso “Core” (29 pares de músculos que incluem os oblíquos interno e externo, o transverso do abdômem, os multífidos, o reto abdominal, os glúteos, o quadrado lombar e os músculos do assoalho pélvico), porém, com a mesma importância é necessário fortalecer os músculos que envolvem a cintura escapular (“Core do Ombro”) e os músculos do Tronco, que fazem a ligação entre as cinturas escapular e pélvica.

Quais são os benefícios?

Em função do trabalho de mobilidade e estabilidade, e da utilização de movimentos integrados que envolvem várias articulações ao mesmo tempo, nos seus diversos planos e eixos, estes exercícios estimulam a concentração, desenvolvem a coordenação motora, a força, a velocidade, a resistência muscular, a agilidade (equilíbrio, ritmo, capacidade de orientação, etc.); melhoram a postura, previnem lesões, melhoram a performance nos esportes e permitem a realização dos movimentos e atividades do dia a dia de forma eficiente.

Quais são os materiais utilizados?

Podem ser feitos uma infinidade de exercícios utilizando apenas o peso corporal e muitos outros utilizando diversos tipos de materiais e implementos, como por exemplo: bolas (fitball, fisiobol, medicine ball), bosu, pranchas proprioceptoras, elásticos, bandas elásticas, giro-plano, mini-trampolim, kettelbell, fitas de suspensão, escadas de agilidade, etc.

Quem pode praticar?

Qualquer pessoa pode praticar, sem limite de idade, desde que se apresente em boa condição de saúde, estando apta para praticar atividade física. Sem esquecer é claro de respeitar os princípios básicos do treinamento como, por exemplo, a individualidade biológica.

E o melhor de tudo, é que de acordo com o último posicionamento do ACSM (Colégio Americano de Medicina do Esporte) você só precisa de 20 a 30 minutos por dia de exercícios funcionais para colher todos esses benefícios!

E quanto a estética corporal?

Através do treinamento funcional é possível observar ganhos significativos na estética corporal em decorrência do trabalho de força e resistência muscular que promovem definição nas musculaturas envolvidas e melhora da postura. Além disso, dependendo do enfoque dado ao treinamento, pode proporcionar um excelente gasto calórico que auxilia no emagrecimento. Neste caso, o treinamento deve ser predominantemente aeróbico (ex. em forma de circuito).

Um bom exemplo a citar é a melhora observada na estética do abdômen em função do fortalecimento do músculo Transverso Abdominal, grande foco dos exercícios funcionais. Isto porque a pitose abdominal (barriga estufada) é causada, em parte, pela fraqueza desta musculatura, uma vez que tem como uma de suas funções sustentar e conter as vísceras abdominais, além de auxiliar na estabilização da coluna vertebral. Ocorre que os treinos abdominais normalmente realizados nas aulas de musculação e ginástica localizada tradicionais, não dão enfoque específico para esta musculatura, costumam trabalhar mais os músculos superficiais. Consequentemente, o Transverso continua fraco e a “barriguinha” continua saliente.

Referência Bibliográfica:

– Gomes, M.V. Exercícios Funcionais Alternativa de Treinamento e Tratamento, Exercícios para Toda a Vida. Rio de Janeiro: Livre Expressão Editora, 2007.

– Gomes, M.V. Exercícios Funcionais Do Ideal ao Real. Rio de Janeiro: Livre Expressão Editora, 2010.

– D’Elia, L. Guia Completo de Treinamento Funcional. São Paulo: Phorte Editora, 2013.

– Elphinston, J. Stability, Sport, and Performance Movement, Great Technique Without Injury. England: Lotus Publishing and California: North Atlantic Books, 2008.

 

Por Clarice Penna Firme, Personal trainer (CREF: 018025-G/RJ)

Você também pode gostar:

Mais postagens como esta…

Menu
Open chat