O limpador de placas

Monika Feth
Ilustrações Antoni Boratynski
Editora Brinque-Book

Esse livro, uma preciosidade da Editora Brinque-Book, tem uma ilustração belíssima e um texto elegante e sutil, sendo capaz de atrair crianças e adultos de todas as idades. O livro conta a história de um limpador de placas que gostava muito do seu trabalho. Durante anos ele percorria o mesmo trajeto de ruas com nomes de pessoas famosas, poetas, escritores, compositores: Praça Carlos Gomes, Rua Bath, Rua Monteiro Lobato,etc. Seus colegas reconheciam, sem inveja, que ele era o melhor limpador de placas da cidade. Um dia, enquanto trabalhava, o limpador ouviu um menino perguntando a sua mãe sobre a rua Guimarães Rosa, mas perdeu parte da resposta. De repente, percebeu que não sabia nada sobre aqueles nomes que estavam nas placas que limpava todos os dias. E tomou uma decisão: pesquisar sobre aqueles nomes. Fez primeiro uma lista de compositores e depois uma de escritores, começou a ir a concertos, se deu de presente uma vitrola no Natal, passou a ser um dos maiores frequentadores da biblioteca municipal. Sentia como se escritores e compositores fossem seus amigos íntimos.

E assim ele ia: limpando placas e assobiando as mais variadas músicas, lustrando e declamando poesia, polindo e cantando, esfregando e recitando contos. “As pessoas que passavam ouviam o limpador e paravam admiradas… é que elas nunca tinham visto um limpador de placas como aquele. Quase todos os adultos acham que algumas pessoas servem só para limpar placas, outras só para escrever poemas, ou melodias. O fato de alguém fazer as duas coisas ao mesmo tempo deixava essa gente tão atrapalhada…”

O tempo foi passando e o limpador de placas continuava a fazer palestras para si mesmo sobre música e literatura. E cada dia mais pessoas ficavam ao pé da escada ouvindo suas palestras. Apareceu na televisão, ficou famoso. No auge do sucesso, foi convidado para quatro universidades para dar aula. Com toda a delicadeza, recusou o convite: afinal, o que ele mais gostava de fazer era limpar placas de rua o dia todo: “Só faço as palestras para me distrair. Não pretendo ser professor. Sentiria muita falta do meu serviço”.

 

Por Dra. Ana Mallet

Você também pode gostar:

Mais postagens como esta…

Menu
Open chat